Livros e Publicações

folder_condominio-capa

Manual de Boas Práticas para Manutenção de Condomínios

Segundo norma específica, define-se Manutenção Predial como “o conjunto de atividades a serem realizadas para conservar ou recuperar a capacidade funcional da edificação e suas partes constituintes de atender as necessidades e segurança de seus usuários”. Sobre este assunto, que instiga o interesse de milhões de cidadãos pelo Brasil afora , o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo – Crea-SP tem uma proposta técnica para oferecer à sociedade. Para começar, o Grupo de Trabalho do Crea-SP que elaborou este Manual apresenta os critérios que adotou na criação deste conteúdo.

Após a implantação das Normas de Desempenho NBR 15.575/2013, NBR 5.674/1999 e NBR 14.037/1998, e da Norma de Acessibilidade NBR 9050/2015, a indústria da construção iniciou uma evolução dos estudos dessa atividade no Brasil. Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo estabelecer critérios para a manutenção preventiva e corretiva de uma edificação específica com características singulares, dentro das realidades locais de cada região. O resultado do plano elaborado é a recomendação de um maior aprofundamento das atividades previstas nos serviços de manutenção, assim como a maior conscientização dos construtores na elaboração do mesmo e dos usuários quanto ao compromisso de contratar e efetivar os serviços necessários ao bom termo da atividade.

Como proposta, a NBR 5.674/1999 declara que a organização do sistema de manutenção deve levar em consideração as características de cada edificação e, diante disso, a necessidade de o plano ser aplicado e ser específico. Diante de tantos aspectos importantes e do momento crucial em que o mercado da construção civil se encontra, torna-se fundamental a conscientização e o crescimento dessa cultura entre os incorporadores, profissionais habilitados, construtores, síndicos e proprietários.

A NBR 16.280/2014, por sua vez, foi elaborada no Comitê Brasileiro de Construção Civil pela Comissão de Estudo de Reforma de Edificações, e diz, em sua Introdução, que “o tema ‘reformas de edificações’ assume relevância na sociedade à medida que, com a existência de demanda, do crescimento das cidades e urbanização de novas regiões, passa a ser atividade a ser disciplinada na sua forma de gestão”.

Dessa forma, a proposta de um plano de manutenção dentro da realidade regional agrega diretriz e conhecimentos importantes a serem seguidos como um primeiro passo a ser dado para o sucesso dessa nova tendência de responsabilidades. Este é o principal objetivo do trabalho que ora se apresenta: propor um modelo de Plano de Manutenção Preventiva e Corretiva.